19.06.2012

A Igreja precisa renovar-se e adoptar uma nova linguagem para anunciar o Evangelho

1_0_597666.JPGO Instrumentum laboris, documento de trabalho do Sínodo dos Bispos foi apresentado à imprensa, esta terça-feira 19 de Junho. Dedicado à "nova evangelizaï¿ ½o para a transmissão da fé", o XIII° assembleia geral ordinária do Sínodo terá lugar de 7 a 28 de Outubro no Vaticano. O documento é o resultado das respostas aos Lineamenta, um detalhado questionário enviado a todas as Igrejas locais, os Dicastérios da Cúria Romana, a União dos Superiores Gerais (USG) e a outras instituições e comunidades. É composto de uma introdução, quatro capítulos e uma conclusão.

Romilda Vane Ferrauto Iluminação (Rádio Vaticano): >> RealAudioMP3

50 Anos após a abertura do Concílio Vaticano II, encontramos entre os cristãos uma crise de confiança nos valores com que foram transmitidos; eles não estão preparados para aderir plenamente e sem condições para a verdade da Revelação. A fé vivida de forma individual e respondente fica enfraquecida. É imperativo para reagir a esta situação. Portanto, a Igreja deve encontrar novas ferramentas, uma nova língua, mas também para se renovar a partir de dentro para obter sua mensagem no novo mundo desertos.


O documento apela para se livrar de uma série de falsas certezas hoje amplamente difundida entre os cristãos: como, por exemplo, considerar que a evangelização é uma violação da liberdade dos homens; ou que é suficiente para agir em favor da justiça, da liberdade, da paz, da solidariedade, sem fazer nada para promover conversões a Cristo. Outra advertência: para evangelizar, a Igreja tem de ser credível; deve apresentar-se como uma verdadeira comunidade fraterna e não como uma empresa; não tem de ser colocada no local estratégias de comunicação eficazes, mas sim para se renovar na medição com os pecados de alguns dos seus membros.


O segundo capítulo analisa em detalhe as transformações sociais nos últimos anos com as suas sombras e suas luzes: a secularização, a perda do sentido do sagrado, o desconto em questões de valores ... e propõe uma série de pistas de acções: caridade e testemunho de vida; diálogo ecumênico e inter-religioso; revitalização das paróquias com a ajuda dos leigos batizados, de comunidades e de movimentos; pastoral vocacional e formação adequada dos seminaristas e noviços. O trabalho enfatiza a importância dos catequistas e discutiu a possibilidade de criar para eles um ministério estável dentro da Igreja. Propõe as prioridades para relançar a acção pastoral: as missões populares, a preparação para o matrimónio, a educação dos jovens ..... a integração de diferentes carismas é encorajada.


O texto convida os cristãos a fazer sua auto-crítica e a denunciar os seus apostasia silenciosa; ela severamente da ponta do dedo a própria Igreja, as infidelidades e seus escândalos, sua falta de sensibilidade aos problemas dos homens de hoje, a excessiva burocratização das estruturas eclesiásticas ... Se os fiéis afastar-se-ão da prática cristã, é também porque o acompanhamento espiritual estiver danificada.
O desafio é bem em levar a questão de Deus na sociedade contemporï¿ ½ea mas para transmitir a fé, acreditar e viver. A tarefa era difícil. Os cristï¿ ½s s� chamados a ser do intrépidas testemunhas do Evangelho e de viver com uma força calma sua identidade como filho de Deus. A Igreja é chamada a purificarem-se e a reparar os erros cometidos.


Finalmente, o Evangelho é apresentado como uma cura que reforça a alegria e a vida e a luta contra o medo. Ou esta recordação dos famosos "Não tenhais medo" lançado por João Paulo II.



O secretário geral do Sínodo dos Bispos é satisfeito: as respostas ao questionário enviado a todos os episcopados reflectir a realidade das igrejas locais. Dom Nikola Eterovic reconhece, no entanto, que haverá desafios, dificuldades na participação num diálogo fraterno, das faixas para encontrar superá-las e ser capaz de anunciar o Evangelho aos homens de hoje e as novas gerações. João Paulo II - lembra ele - alegou que a evangelização foi renovar o ardor, a expressão e os métodos. A Igreja é chamada a revitalizar a sua pastoral ordinária, deve chegar, em prioridade, os baptizados que não foram suficientemente evangelizados ou que se afastaram da Igreja e mostrar-lhes o anúncio do Evangelho. E uma vez que a nova evangelização passado pela conversão, Dom Eterovic é convencido de que o próximo sínodo ajudará a Igreja a superar as suas dificuldades actuais e que irá gerar um novo Pentecostes na Igreja e na sociedade. O secretário-geral do Sínodo também conta com novas tecnologias para transmitir a riqueza do Cristianismo.


Isabella Piro (Rádio Vaticano) pediu para nós: >> RealAudioMP3